Quinta-feira, 7 de Agosto de 2008
Diário de bordo

Para quê estar a mentir se sinto a sua falta. Sabes, sinto falta daquele olhar terno e paterno. Do respeito e consideração que sempre teve pela minha pessoa, bem como da forma como falava comigo. Sinto falta da sua postura sempre que me via. Parecia que esperava por mim. Com aquele sorriso. Com aquele olhar carente de atenção. Com aquela ingenuidade típica da sua idade. Estas são as coisas boas da vida. Na verdade gostaria de lhe dizer que tenho saudades de lhe fazer companhia. Das conversas que tínhamos. Daquele abraço de despedida que apenas confirmava uma amizade inesperada mas genuína.

 

Há várias noites que este pensamento me assiste, naqueles minutos(longos!) antes de adormecer. Quando estamos no mar passamos imenso tempo sozinhos. Quase todo o tempo. Aliás. Mas apenas quando me deito, e sinto o barulho das ondas a bater na proa do barco, é que sinto a saudade do tempo que o próprio tempo levou.

 

Nunca tive muito o hábito de deixar o barco, para passar uma noite nos portos. Os meus Piratas é que faziam questão disso. Embriagavam-se. Frequentavam casas de prositutas. E pilhavam as casas que lhes apetecia. Nada podia fazer. Tinha sido a vida que tinha escolhido.

 

Naquele dia, decidi desembarcar. Nunca antes tinha deixado o comando daquele barco. Eram anos. A última vez que tinha acontecido tal coisa tinha sido no meu porto de abrigo, e tinha posto em causa tudo. Nessa altura pensei em nunca mais voltar ao mar.

 

Naquela vez, conheci aquele senhor bem vestido, bem educado, já com uma certa idade, sentado num banco de jardim, a ver as pessoas passar. Nunca o abordei. Sempre que que parávamos naquele porto, era o único em que fazia questão de deixar o barco. E todas as vezes, que por lá passava, lá estava ele. Nunca me hei-de esquecer daquela primeira frase "Como está o senhor?".  Disse-o com segurança. A partir dali a cumplicidade fez o resto.

 

Foram tardes e tardes. Meses. Houve alturas em que, me alguém me disse frases como " Todos os dias fica à sua espera."  ou "Não passa um único dia, que não se sente nesse banco de jardim à espera que chegue!". Um único dia. Conversávamos sobre tudo. Sempre sobre o seu comando. Eu, na minha simplicidade, apenas fazia a minha parte. Dar-lhe toda a atenção possível. Todo o carinho. Toda a disponibilidade.

 

Num certo dia, os meus Piratas excederam-se. Pilharam e incediaram o que não deviam. Tivemos de fugir. Não havia hipótese. Fomos perseguidos. E nunca mais pudemos fazer essa rota. Nunca percebi porque não tiva a coragem de lá voltar. Ainda hoje me arrependo de não ter tido a coragem de ter ido lá só para me despedir. Tinha sido das melhores pessoas que tinha conhecido. Tratava-me sem indiferença, e dava importância ao que eu era realmente. Ao contrário de outros.

 

Ainda hoje penso, se espera todo o santo dia por mim e se pergunta  aos comerciantes sobre o meu barco, ou sobre mim. Tenho saudades suas. Sinto a sua falta.

  

Na verdade sei que sim. Sei que pergunta por mim. Sei que gosta de mim e sei que tem saudades minhas... Só gostaria que soubesse da verdade toda, porque a merece!

 

E essa já não depende de mim...

 

 



publicado por Pira-te daqui! às 02:26
link do post | comentar | favorito

Domingo, 3 de Agosto de 2008
Sim, querida!

Estava a fazer zapping, quando num dos imensos canais que existem mesmo para esse fim, decido parar. É daqueles momentos, que por alguma razão decimos que o que vimos ou ouvimos nos interessa.

 

Parei num canal brasileiro. Generalista. Na verdade, a jornalista brasileira entrevistava um senhor com 114(!) anos que era casado à 90(!!) com a sua esposa de 110(!!!) que também era viva(!!!!). Pois é! Não dá para acreditar. Mas é mesmo verdade. A jornalista com muito esforço, pois o senhor já mal ouvia e quase a gritar perguntou-lhe:

 

J: Qual é o segredo, para manter um relação durante 90 anos?

S: Ãh?

J: Estava-lhe a perguntar qual o segredo para uma relação durar tanto tempo.

S: Sim, querida! - respondeu de forma espontânea, adormecendo logo de seguida.

 

.



publicado por Pira-te daqui! às 17:34
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 11 de Julho de 2008
Diário de bordo

Após, um ano e meio no mar voltei à minha cidade. Sempre que passo por cá penso na vida que poderia ter se tivesse tomado outro tipo de decisões. Nunca me deixei acomodar. Um Pirata não é assim. Um líder muito menos. Naquela altura, não poderia desapontar os meus homens. Aqueles que fizeram que fosse respeitado por esse mar fora. Na altura deixei tudo para trás e mal sabia que sempre que voltaria a este porto, o consideraria como apenas mais um...

 

Por mais que me engane,  sinto que nunca soube o  verdadeiro siginificado da palavra lar. Não sei o que é ter um porto de abrigo. Não sei o que é ter alguém que se preocupa realmente connosco. Que me acarinhe. Todos estes sentimentos me são estranhos, mas ao mesmo tempo sinto uma necessidade extrema de os conquistar.

 

A via tem estas coisas. Estas e muito mais. Que desconhecemos por completo. É feita de prioridades. De decisões. Eu tomei a minha. Não me arrependo. Escolhi esta vida e por isso assumo-a perante mim e perante a minha tripulação. Cada  barco que conquistamos e que pilhamos é apenas mais uma aventura e apenas mais um, no meio de tantos outros. Cada pessoa que esventro, sinto que se trata de um mal menor. Nada me arrelia, mas tudo me preocupa.

 

Por uma vez na vida, quis parar. Pensar. Deixar esta vida que não interessa a ninguém. Nunca me arrependi de nada, mas sei que preciso da outra parte da vida que não posso ter devido às escolhas passadas. Por momentos pensei ter forças para conseguir ficar. Por momentos sonhei que tinha alcançado e conquistado aquilo que  sepre quis ser e que na verdade não sou. 

 

Por momentos pensei que poderia estar a construir o lar que nunca tive. O amor que nunca encontrei. Daqueles que duram para a vida inteira. Não sei porque razão, mas isso não pasosu apenas de um sonho meu. Felizmente que ninguém passa ao lado destes pensamentos. Não se enganem. Ninguém. Nem mesmo o pior Pirata à face da terra.

 

Mas, por alguma razão que desconheço, esse sonho desvaneceu-se por completo. Esfumou-se! Desapareceu.Já nem a esperança e muito menos as forças eram suficientes, apesar de acreditar no futuro e na felicidade que estaria ali tão perto... Já nada dependia de mim! E não me tinha apercebido disso.  

 

(...)

 

Fugi. Acobardei-me! Afastei-me do caminho que realmente queria! E apenas me restou  alimentar a esperança e continuar à deriva, mais uma vez, por esse mar fora...



publicado por Pira-te daqui! às 19:16
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 3 de Junho de 2008
Direito à opinião

E eu que pensava que vivíamos num estado de direito, e que tinha o direito de me pronunciar sempre que o entendesse. Pois é! Mas desenganem-se meus amigos!

 

Ontem, numa aula de uma disciplina de 5º ano do Instituto Superior Técnico, de forma legítima e cordial, depois de pedir a palavra, mostrei o meu desagrado sobre a forma desadequada de avaliação escolhida pelo docente  e  referi a  sua preferência (óbvia!) sobre certos alunos, relativamente a notas e atitudes, e consequente discriminação dos outros(opinião partilhada pela maioria!).

 

Para além de me dizer que não me tinha pedido a opinião, disse-me que a ingenuidade não  seria apenas emitir convictamente uma opinião, mas sim  essa mesma opinião estar baseada numa falsa sustentabilidade.

 

E deixou-me confuso. Fiquei a pensar qual seria a falsa sustentabilidade! Se a minha ou a dele?

 

Neste sentido concluí que o certo era ter ficado calado, porque não se conseguiria partilhar opiniões contrutivas. É inegável que a ignorância faz com que as pessoas se fechem segundo as suas próprias convicções, fazendo com que seja uma impossibilidade esse tal crescimento ou desenvolvimento pessoal...sustentado!

 

Não é possível com uma arrogância deste tipo.

 

 

- Muito bem! Muito bem! Muito bem meu Capitão! - grita o Pirata de vigia, no topo do mastro!

 

( Aqui ninguém tem opinião. Todos se regem pelas minhas. Azares da vida!)



publicado por Pira-te daqui! às 13:23
link do post | comentar | favorito

Domingo, 25 de Maio de 2008
Rumos

Este barco andou anos à deriva. Sem destino. Apenas com o objectivo de saquear o maior número de barcaças possíveis, possibilitando aos meus piratas a honra de me terem como seu capitão e a oportunidade de se conseguirem divertir como nunca antes o tinham feito.

 

Infelizmente, dei por mim noutro mundo. O mundo, em que as oportunidades surgem sem nos apercebermos. Nesse sentido a tomada de decisão nem sempre é devidamente ponderada. O mundo, de hoje em dia, não o permite. Vivo uma realidade que desconhecia, ou que pura e simplesmente me alhei por pura conveniência. A vida era(é!) tão boa! 

 

Na verdade o díficil é decidir bem. Oportunidades surgem e desaparecem como nunca antes tinha pensado que seria possível. No mundo de hoje, o que é preciso é acreditarmos em nós próprios. Fazermos aquilo que realmente gostamos e onde nos possamos sentir completamente realizados. Mas mesmo essa convicção é insuficiente para o que pretendemos alcançar.

 

Infelizmente poucos, muito poucos, são aqueles que se dão a esse luxo!

 

 

 

 

 

 



publicado por Pira-te daqui! às 19:07
link do post | comentar | favorito

Sábado, 10 de Maio de 2008
Uma visita, um comentário

Um blog, é como uma namorada ou um amigo. É preciso criar uma relação de cumplicidade. É preciso arranjá-la onde, por vezes, sabemos que não existe e  ganhar forças para continuar em frente! A vida é assim e assado! Não vale a pena estar aqui com dissertações baratas. Nem sequer me apetece!

 

Sei que tenho uma legião de seguidores(mesmo que seja mentira, deixem-me viver nesta - boa! - ilusão), e por isso este apelo é para vocês. Preciso de motivação. Preciso de sentir que o meu trabalho é reconhecido( mesmo que o não seja). O que vos peço é que sejam hipócritas ou sinceros. Borrifem-se nos príncipios morais basilares da vossa formação pessoal e digam que este é o melhor Blog do mundo! Digam que nunca conheceram um Pirata tão interessante. Digam isto e digam aquilo. O importante é saber que estão vivos!O importante é ganhar motivação para continuar em frente...

 

As minhas escravas sexuais, podem mentir(descaradamente!) e dizer que fui(sou!) o seu melhor amante! Que nunca tremeram tanto, naqueles mo momentos mais íntimos.Os meus jogadores dizerem que sou melhor que o mourinho ou (bem!) pior que o Chalana. Digam o que vos vai na alma! Sejam aquilo que sempre quiserem ser. Deixem  o mundo sombrio em que vivem e gritem a palavra LIBERDADE, como nunca gritaram antes!

 

 

UMA VISITA, UM COMENTÁRIO!

 

 

 



publicado por Pira-te daqui! às 14:50
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 2 de Maio de 2008
Palavra

Já pensaram que significado pode ter a palavra "palavra"? Que sentido se dá a esta palavra? Qual o seu signficado? Pode ter conotação negativa ou positiva. Pode ter um significado, mas este ser deturpado pela simples facto de não ter sido dita da forma correcta, ou com a entoação pretendida.  Pode significar tudo, como não pode significar nada!

 

É necessário aprender a usar as palavras certas,
É necessário não se voltarem a ouvir as erradas...

 

(Perdido no Mediterrâneo, com saudades de casa, escrevo este texto com um significado vago...)

 

 

 




publicado por Pira-te daqui! às 16:30
link do post | comentar | favorito

Domingo, 20 de Abril de 2008
So far away from me



publicado por Pira-te daqui! às 00:54
link do post | comentar | favorito

.Have you ever met a real Pirate?
.Recent treasures

. Diário de bordo

. Sim, querida!

. Diário de bordo

. Direito à opinião

. Rumos

. Uma visita, um comentário

. Palavra

. So far away from me

.Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
14
16

17
19
20
21
23

24
25
27
28
29
30

31


.subscrever feeds